“ORDEM – VOTAR OU NÃO VOTAR

“ORDEM” – VOTAR ou NÃO VOTAR

Às vezes me pergunto, porque temos gravado em nossa bandeira a frase “ORDEM E PROGRESSO” se em nenhuma oportunidade ou quase isso, respeitamos seu significado!
Vejamos então o assunto agora em discussão como um bom exemplo. O cadastro biométrico que foi definido como obrigatório em determinadas regiões e que deixou de ser feito por quem não deu a devida importância ao tema. Tais pessoas não podem cumprir o seu dever de votar, pois, erroneamente o voto é obrigatório na minha opinião e perderam o direito de escolher seus representantes nesta eleição.
Eis que surgem então os defensores da mudança da regra. Mude-se a ordem! E pronto. Está resolvido! Eu digo que são mais oportunistas que defensores do direito dos eleitores, não sendo que defendem seu próprio sucesso! Eles devem estar contando que “cidadãos” que não procederam o cadastro conforme a “ordem” estabelecida, lhes pertençam, que sejam seus eleitores exclusivos.
Esses tais que pedem ao TSE que esqueça a ordem, certamente fizeram alguma análise e acham que estão perdendo não devolvendo o “direito” ao voto a alguns. Fala-se mesmo que a diferença de votos entre Dilma e Aécio em 2014 foi superior a três milhões de votos, dando a entender que a falta dos “fora da ordem” possa mudar o resultado da eleição.
Em resumo, quando alguém tenta organizar algo neste País, pelo menos entenda-se que para melhorar, os oportunistas de plantão, na senda da lei de Gerson, querem que a “melhoria”, que a “organização” se exploda, para não dizer outra palavra que começa com a letra “F “
Ou seja, “Ordem”! pra que ordem? Que se contentem os outros com a inscrição na bandeira!!!

Professores ajudam Alckmin

Alckmin – O Administrador do Salário dos Professores

Agora que o nome de Geraldo Alckmin está em candidatura ao cargo de administrador do Brasil, depois de fazer essa função por muito tempo no Estado, me vem a pergunta: Geraldo é um bom administrador? Porque se tem uma coisa que o Brasil necessita urgentemente, é de boa administração!
Analisando somente um aspecto do trabalho do governador, na área da educação, de altíssima importância para o futuro dos nossos jovens, verificamos uma atitude quase imperceptível para a maioria, exceto para os professores aposentados, para os quais o aspecto negativo é importante, muito importante!!! A administração Geraldo Alckmin em relação aos pagamentos destes funcionários se transformou numa prática de tirar um “pouquinho” de cada professor, de forma constante, ano após ano. O salário desses trabalhadores não é corrigido há alguns anos. Note que não estou falando de aumentar salários! Estou falando de não repor a perda inflacionária. Isso significa que um professor caso compre com seu salário somente itens de alimentação, a cada ano , deve comprar menor quantidade, ou seja, comer menos! Ele deve comer menos porque seu salário compra menos! Como essa prática se repete, podemos supor que um dia o professor deixará de se alimentar!!!! E daí? Alguém se importa?
Administrar o nosso dinheiro, o qual é apropriado pelo estado para suprir as necessidades de todos, tirando um pouquinho de cada um constantemente, não pode ser chamada de boa estratégia de administração. É óbvio que esta é uma análise parcial, pequena, mas que denota uma tendência. Então quero concluir: Geraldo Alckmin NÃO é bom nessa tarefa!