Professores ajudam Alckmin

Alckmin – O Administrador do Salário dos Professores

Agora que o nome de Geraldo Alckmin está em candidatura ao cargo de administrador do Brasil, depois de fazer essa função por muito tempo no Estado, me vem a pergunta: Geraldo é um bom administrador? Porque se tem uma coisa que o Brasil necessita urgentemente, é de boa administração!
Analisando somente um aspecto do trabalho do governador, na área da educação, de altíssima importância para o futuro dos nossos jovens, verificamos uma atitude quase imperceptível para a maioria, exceto para os professores aposentados, para os quais o aspecto negativo é importante, muito importante!!! A administração Geraldo Alckmin em relação aos pagamentos destes funcionários se transformou numa prática de tirar um “pouquinho” de cada professor, de forma constante, ano após ano. O salário desses trabalhadores não é corrigido há alguns anos. Note que não estou falando de aumentar salários! Estou falando de não repor a perda inflacionária. Isso significa que um professor caso compre com seu salário somente itens de alimentação, a cada ano , deve comprar menor quantidade, ou seja, comer menos! Ele deve comer menos porque seu salário compra menos! Como essa prática se repete, podemos supor que um dia o professor deixará de se alimentar!!!! E daí? Alguém se importa?
Administrar o nosso dinheiro, o qual é apropriado pelo estado para suprir as necessidades de todos, tirando um pouquinho de cada um constantemente, não pode ser chamada de boa estratégia de administração. É óbvio que esta é uma análise parcial, pequena, mas que denota uma tendência. Então quero concluir: Geraldo Alckmin NÃO é bom nessa tarefa!

About Author:
Nilton Cesar Motta iniciou sua vida de trabalho aos 17 anos de idade já tratando com clientes em um escritório de preparação de documentos para automóveis. Mesmo sem saber à época, era o inicio do seu treinamento na relação cliente-fornecedor. Antes de iniciar seu curso acadêmico na Universidade Federal de Santa Maria no Rio Grande do Sul, passou trabalhando como secretário na recém instalada Faculdade de Ciências e Letras em Santa Rosa, interior do Rio Grande do Sul. Formado na Faculdade de Química Industrial em 1976 e já tendo estagiado na empresa multinacional Henkel S.A Indústrias Químicas, iniciou sua carreira profissional nesta mesma empresa em 1977. A Henkel se constituiu na prática em uma nova escola, pois durante 26 anos na mesma, o autor de fato exerceu atividades desde o surgimento até o uso final de produtos químicos para variadas aplicações, o que exigia contatos diários com clientes e fornecedores internos e externos, bem como experiências administrativas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *